quinta-feira, 18 de março de 2010

Um diálogo do anjo Gabriel com Jesus


Há uma lenda que relata acerca da volta de Jesus à glória após cumprir seu tempo na terra. Mesmo no céu, Ele ainda trazia as marcas dos cravos da cruz.

O anjo Gabriel aproximou-se de Jesus e disse:

- Mestre, o Senhor deve ter sofrido terrivelmente pelo homem.
- Sim, de fato, Ele respondeu.
- E, continuou Gabriel, eles sabem tudo a respeito de como o Senhor os amastes e o que fizestes por eles?
- Oh, não, disse Jesus, ainda não. Neste momento apenas um punhado de gente na Palestina sabe.
Gabriel estava perplexo, e continua a indagar:
- Então o que fizeste para que todos saibam do teu amor por eles?
Jesus disse:
- Pedi a alguns amigos para contarem às outras pessoas acerca de mim. Estes, por sua vez, dirão aos outros e a minha história será espalhada aos cantos mais remotos da terra.
Gabriel ficou um tanto pensativo, ele disse:
- Mas Mestre, e se estes se cansarem e os demais se esquecerem? E se no passar do tempo as pessoas não conterem às outras a respeito de ti? Não tens nenhum outro plano?
Jesus respondeu:
- Não, não tenho, estou contando com eles.

21 séculos mais tarde...

Ele não tem nenhum outro plano. Ainda conta com você e comigo. A evangelização do mundo é prioridade na agência de Deus. Seus primeiros discípulos se dedicaram a alcançar o mundo com a mensagem de Cristo. O Senhor Jesus contou com eles e eles obedeceram. E nós? Agimos da mesma forma?

Comodismo e indiferença

Muitos estão acomodados negligenciando a sublime tarefa de anunciar o evangelho. Enquanto isso, o adversário cumpre cabalmente a sua tríplice missão de “... Roubar, matar e destruir...” (Jo 10.10), “ao rodear a terra e passear por ela” (Jó 1.7). Neste círculo maligno ele vai ceifando vidas e mais vidas, e muitos são os que vão expirando sem ter esperança de ver Deus.
Nós, igreja de Jesus Cristo, não podemos ficar de braços cruzados, indiferentes com esta triste realidade. Assim diz o Senhor da Seara: “... Levantai os vossos olhos e vede os campos, que já estão brancos para a ceifa” (Jo 4.35). Precisamos sair diligentemente em busca dos pecadores lá fora aonde eles se encontram (Lc 14.23). Isso requer movimento e ação; se faz necessário uma busca diligente, foi exatamente assim que Cristo fez, Ele é o exemplo maior (At 10.38).

O Senhor da Ceifa está chamando

O Senhor está a perguntar: “... A quem enviarei, e quem há de ir por nós?”, falta alguém como Isaias que ouça se disponha e responda: “... Eis-me aqui, envia-me a mim” (Is 6.8). A tarefa mais importante que podemos realizar é a de ganhar almas para o reino de Deus (Lc 12.43). Não foi dito aos pecadores: “vinde ao templo”, mas aos discípulos foi dito: “Ide por todo o mundo”.

Dois aspectos principais na grande comissão

Primeiro, uma ordem: Jesus não pediu, Ele ordenou dizendo: “IDE”. O sentido real dessa ordem, tal como soou aos ouvidos dos primeiros discípulos, é este: “vocês devem ir; vão! É um imperativo, não um pedido (Mt 28.19; Mc 16.15); As boas novas do evangelho é para toda a raça humana. Por isso, devemos ir por todo o mundo e não apenas para algumas regiões.  O ide é imperativo e não opcional. Esse é o nosso chamado como corpo de Cristo e é a nossa responsabilidade: ir e pregar o evangelho.

Segundo, uma promessa: Ao mesmo tempo em que deu uma ordem, Jesus nos consola dizendo: “... e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos.” (Mt 28.20). Não estamos sozinhos, Jesus está conosco na execução da Sua Grande Comissão. Ele está conosco em qualquer hora, em qualquer lugar e em qualquer dia que sairmos para fazer a Sua obra e cumprir a suprema tarefa da Igreja, a evangelização do mundo.

Jesus não está contando com Gabriel,
 Ele conta com a Sua Igreja,
Ele conta com você!

Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados, e pôs em nós a palavra da reconciliação. De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamos-vos, pois, da parte de Cristo que vos reconcilieis com Deus.” (2Co 5.9,20).