quarta-feira, 2 de março de 2011

Uma forte "experiência" para mim, para os descompromissados e os mercenários do evangelho

O vídeo postado tem cenas fortes.



Por Micheline Gomes
No Brasil temos a liberdade de pregar o Evangelho, mas infelizmente o que temos visto é um Evangelho mal pregado.
Em muitos países como você verá no vídeo, cristãos são transformados em holocaustos vivos por amor a Cristo. Preferem a morte, antes negar Seu Senhor!
E a fé vivenciada por eles não é feita por falsas promessas de riquezas e extorsão, mas de uma vida simples de pobreza e perigos.
Entretanto, a maior riqueza que eles têm é a Salvação em Cristo Jesus e a certeza da Morada Celestial! O Evangelho é apresentado como as Boas Novas de Salvação para todo aquele que crê.
Por isso, sofrem todo tipo de tortura. Você observará no vídeo a casa de um pastor. Observe se há algum tipo de luxo? Veja se o pastor em algum momento revida as agressões? Não!
Ser pastor aqui no Brasil é muito fácil, principalmente ser pastor da prosperidade, que engana os fiéis e enriquecem a custa dos mais desvalidos. No país “do jeitinho”, pastor tem segurança particular, e as agressões em vez de serem físicas por causa de algum tipo de perseguição religiosa, é realizada pelos próprios pastores em seus megas programas: Agressões verbais. Quem não já viu? Acessa o Youtube e dá uma olhada!
Será que tais pastores deixariam seus jatos modernos, suas suntuosas mansões e iriam ganhar almas para Cristo pregando o genuíno Evangelho nos países perseguidos? Não! “Vem cá missionário, vai lá... agente te sustenta... E muitos missionários penando pelo mundo afora, enquanto seus líderes viajam confortavelmente e se hospedam nos melhores hotéis das metrópoles brasileiras.
Como no Brasil tudo acaba em pizza, na Coreia, Índia e outros países tudo acaba em perseguição, pancadaria e morte.
Fácil para mim pregar o Evangelho aqui no Brasil. Fácil pra você?
Estou envergonhada de mim mesma. Misericórdia!
"Que sofrimentos os mensageiros do evangelho devem esperar? Jesus disse aos seus discípulos que esperassem sofrimento e oposição. Alguns deles perderiam sua própria vida pelo seu nome e pelo evangelho (Mateus 10:38 e 39). Segui-lo não seria fácil.
A proclamação do evangelho freqüentemente vem acompanhada de perseguição, porque esta é a maneira das pessoas resistirem a ele. O propósito da perseguição é danificar a igreja e impedir que o evangelho se propague. Com isso, geralmente os líderes são arrancados da igreja.
O apóstolo Paulo escreveu que ele se regozijava nos seus sofrimentos, aos quais chamava de “aflições de Cristo, a favor do seu corpo, que é a igreja” (Colossenses 1:24). Ele também falou acerca dos benefícios espirituais do sofrimento (Romanos 5:3 a 5). Ele considerava uma vida livre de sofrimento como uma rara exceção (2 Timóteo 3:12).
Alguns cristãos vivem em países “excepcionais” e gozam de liberdade religiosa. Conhecem muito pouco sobre perseguição e sofrimento por Cristo. Outros cristãos conhecem mais sobre isso porque vivem em lugares onde pagam um alto preço pela sua fé e por seu testemunho.

Oremos por nossos irmãos cristãos da igreja perseguida.
nEle que nos chamou ao sofrimento pela causa do Evangelho!
“Agora me regozijo nos meus sofrimentos por vós; e preencho o que resta das aflições de Cristo, na minha carne, a favor do seu corpo, que é a igreja; da qual me tornei ministro de acordo com a dispensação da parte de Deus, que me foi confiada a vosso favor, para dar pleno cumprimento à palavra de Deus” (Colossenses 1:24 e 25).

Fonte: Blog da escritora Micheline Gomes