quinta-feira, 28 de julho de 2011

A pregação neopentecostal...

Vitórias temporais, saúde e prosperidade.

Quais assuntos são mais abordados pela Teologia da Prosperidade? Resposta: a linha neopentecostal do evangelicalismo brasileiro tem enfatizado esses três temas em sua pregação: vitórias temporais, saúde e prosperidade.

Geralmente as pessoas que vão às denominações neopentecostais querem ouvir isso. Não estão preocupadas com outras coisas. Certa vez ouvir num programa de rádio de uma denominação dessa linha um "testemunho" de um senhor que dizia ter encontrado a verdadeira Palavra de Deus e alcançado prosperidade naquela igreja, depois de ter saído de uma outra onde o pastor só falava de salvação.

Observando os pregadores do Novo Testamento percebemos facilmente que a ênfase era outra:

1. João Batista pregava arrependimento
 e as pessoas iam até ele para serem batizadas confessando os seus pecados (Mt. 3:6; Mc.1:5)

2. Jesus após ser batizado por João começou a pregar dizendo: arrependei-vos, pois é chegado a vós o Reino dos Céus (Mt.4:17)

3. Pedro no dia de Pentecostes anunciou a uma grande multidão de judeus que aquele que eles, juntamente com Pilatos, tinham matado era o Messias enviado por Deus. Compungidos em seus corações perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: o que faremos irmãos? Resposta de Pedro: arrependei-vos e convertei-vos e cada um de vós seja batizado em Nome de Jesus para perdão dos pecados e recebereis o dom do Espírito Santo (At. 2:14-41)

4. A pregação do apóstolo Paulo era fundamentada na graça de Deus, anunciando a morte e a ressurreição de Jesus, como meio para a nossa justificação. Paulo em suas cartas prega a novidade de vida, o abandono dos pecados, como na carta aos Efésios ele diz: aquele que furtava não furte mais (Ef.4:28)

Hoje, porém, as mensagens estão cada vez mais distantes da temática neo-testamentária. Fala-se muito em conquista, cura apenas do corpo, aquisição de bens, diabo e demônios, determinação, direitos do cristão e etc. Veja abaixo algumas características da pregação contemporânea:

• Não há ênfase na mudança de caráter:

Princípios como santidade, confissão de pecados, arrependimento, mudança de comportamento, mudança de linguagem não são lembrados.

• Não há ênfase na missão da Igreja:

As pessoas não são informadas do que e para o que se converteram. A finalidade da Igreja é uma incógnita. Não fala-se em evangelismo e discipulado. A imagem da Igreja como sal e luz não é transmitida.

• Não há ênfase na adoração a Deus:

Não há estímulo para a congregação adorar a Deus. Ao contrário, a Igreja é ensinada a cobrar as coisas de Deus, colocá-lo com canto da parede, como se isso fosse possível. Usa-se a expressão “eu não aceito” quando há situações difíceis. É interessante que o apóstolo Paulo pediu três vezes que Deus tirasse o espinho da sua carne e três vezes teve não como resposta. Depois disso aceitou e adorou a Deus porque quando ele entendeu que quando estava fraco era então que estava forte (II CO.12:7-10). As pessoas vão ao culto não para adorar a Deus pelo que Ele é e faz, mas para receber “bênçãos”.

• Não há ênfase no serviço:

As pessoas não são informadas dos seus deveres enquanto cristãos, pois apenas os “direitos” são abordados. Passa-se a idéia que a Igreja existe para ser servida e Deus tem que atender os nossos pedidos, pois Ele prometeu. Vive-se uma vida cristã voltada para receber e não para dar, contrariando a Palavra de Jesus (At.20:35).

• Não há ênfase na comunhão:

Não há estímulo para contato e prática do amor cristão. A Igreja como corpo não é ensinada. O príncípio é cada um por si, cada um buscando a sua bênção. Geralmente nessas igrejas os membros nem se conhecem. O pastor não tem contato com as ovelhas, não tem cheiro de ovelha e nem quer ter.

• Não há ênfase no aprendizado das Escrituras

Geralmente nas igrejas da teologia da prosperidade não há escola dominical. Os membros não se interessam pela leitura das escrituras e não são incentivados a crescer no conhecimento da Palavra. O pastor prega um sermão breve sem conteúdo bíblico, sem folhear a Bíblia ou citar outros versículos. Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam (Jo.5:39)

Que Deus na sua infinita graça tenha misericórdia de nós, pois o pior de tudo isso é que as pessoas gostam desse tipo de pregação. As pessoas querem bênção, saúde e prosperidade. As pessoas querem viver bem aqui na terra, segundo os padrões desse mundo. Não há preocupação com o Reino, com as coisas de cima. As pessoas não querem compromisso com o serviço, com a comunhão, com a oração devocional, com a santidade.

Que se levantem os profetas, pois quando falta profecia o povo perece (Pv.29:18).


Fonte: Valdiva Nascimento em seu Blog/Libertos do Opressor