terça-feira, 24 de abril de 2012

Três Mitos Sobre a Homossexualidade


Mito 1: a Homossexualidade é normal e determinada biologicamente

A verdade

Não há nenhuma pesquisa científica que demonstre uma causa biológica ou genética para a homossexualidade. Fatores biológicos podem contribuir para uma predisposição para a homossexualidade. De todo modo, isto está presente e muitas outras características psicológicas. 

Pesquisas sugerem que fatores sociais e psicológicos são fortemente influenciadores. Exemplos disso incluem problemas familiares na infância, abuso sexual, senso de inadequação em relação aos colegas do mesmo sexo, o que resulta em um distúrbio na percepção da própria identidade de gênero. A sociedade também pode influenciar no desenvolvimento da sexualidade à medida que encoraja às pessoas “assumirem” que são gays.

Mito 2: os homossexuais não podem mudar, e se eles tentarem, sofrerão muito estresse emocional e se tornarão suicidas. Portanto, tratamentos para mudar a homossexualidade devem ser proibidos

A verdade

Psicoterapeutas do mundo todo e que atendem homossexuais têm noticiado que um número relevante de seus clientes têm obtido mudanças significativas. Ainda que alguns se casem e outros permaneçam celibatários, muitos outros confirmam que os sentimentos homossexuais diminuíram grandemente e não experimentam nenhuma restrição em relação ao passado.

O principal fator para a mudança é a vontade e a persistência, aliada a uma disposição de analisar os próprios conflitos conscientes e inconscientes pelos quais a condição homossexual surgiu. As mudanças são lentas, geralmente levam muitos anos. Os clientes aprendem a satisfazer suas necessidades de atenção, afirmação e intimidade com os pares do mesmo sexo, sem que necessitem erotizar esses relacionamentos. À medida que eles desenvolvem o seu potencial de heterossexualidade, esses homens e mulheres experimentam um profundo senso de segurança com a própria sexualidade.

Se um homossexual não deseja mudar, isso é uma escolha dele, ainda que seja lamentável observar os movimentos ativistas gays militarem contra o direito de tratamento dos homossexuais que desejam vencer a atração pelo mesmo sexo.

Mito 3: Temos que ensinar nossas crianças que a homossexualidade é tão normal e saudável quanto à heterossexualidade. Adolescentes deveriam a ser encorajados a “curtirem” sua atração pelo mesmo sexo.

A verdade

Pesquisas científicas confirmam que desde a antiguidade a homossexualidade não é vista como uma alternativa saudável à heterossexualidade. Essas pesquisas mostram que adolescentes gays são especialmente vulnerável a abusos sexuais e altamente suscetíveis a desenvolverem um comportamento sexual irresponsável.

Dizer para os adolescentes que a atração pelo mesmo sexo é normal e desejável traz mais malefícios que benefícios . Adolescentes que sentem atração pelo mesmo sexo precisam de entendimento e aconselhamento, ao invés de serem empurrados em direção a uma vida potencialmente desastrosa e fatal.

Um estudo de 1992 descobriu que 25.9% dos adolescentes de 12 anos não têm certeza se são gays ou héteros. A adolescência é um fase crítica para a questão de definição da própria identidade, então, os fatos devem ser apresentados em nossas escolas de uma maneira sincera e equilibrada.

Fonte: Closet Full