domingo, 20 de setembro de 2015

Religião islâmica, o maior desafio missionário


Por Levi Costa

Do ponto de vista étnico-religioso, os adeptos do islã são o maior grupo não alcançado pelo Evangelho na atualidade e os mais resistentes ao cristianismo. O Islamismo é atualmente a segunda maior religião do mundo, dominando acima de 50% das nações em três continentes. Eles proclamam, com orgulho, que somam 1 bilhão e 300 milhões de seguidores. Eles se espalham por cerca de 4 mil grupos étnico-sociais e falam cerca de 580 dialetos. 

A Indonésia é o maior País muçulmano do mundo, com aproximadamente 215 milhões de habitantes, entre os quais 175 milhões são muçulmanos. A média anual de crescimento é de 2,11% (enquanto os cristãos crescem apenas 1,27%). Provavelmente, de cada 6 indivíduos da Terra, um professe o islamismo. Em 1991 havia cerca de 2 milhões de muçulmanos no Brasil, 90% deles de origem libanesa. São Paulo é o estado que tem maior número de mesquitas.

Segundo eles, Alá deixou dois mandamentos importantes: O de subjugar o mundo militarmente e matar os inimigos do Islamismo. Suas ordens expressas no Corão são imperativas, injustas e cruéis. Num dos anais que descreve as mensagens de Alá para Maomé, ele diz: “Lutem contra os judeus e matem-nos”. Em outra parte diz: “Oh verdadeiros adoradores, não tenha os judeus ou cristãos como vossos amigos. Eles não podem ser confiáveis, eles são profanos e impuros”. Os fundamentalistas seguem isso à risca.

A História do Islamismo

O islamismo surgiu na Arábia Saudita, no ano 630 d.C. Maomé, que quer dizer: “O altamente louvado”, foi seu fundador, é chamado de “o Profeta” (apóstolo) de Alá. (seu nome árabe é: Abulgasim Maomé ibn Abdullah ibn Abd Al-Muttalibibn Hãs-hin). Ele nasceu no ano 570, na cidade de Meca, na Arábia Saudita, membro da tribo Quirache. Seu pai, Abdulá, morreu pôr ocasião do seu nascimento, e sua mãe, Amina, quando ele tinha 6 anos. 

Era visto como pessoa de temperamento introvertido, sempre pensativo e isolado. 

Aos 40 anos, Maomé começou sua pregação quando, segundo a tradição, teve uma visão do anjo Gabriel, que lhe revelou a existência de um Deus único. Khadija, uma viúva rica que se casou com Maomé, investiu toda sua fortuna na propagação da sua Doutrina.

Maomé passou a pregar publicamente sua mensagem, encontrando uma crescente oposição. Em 8 de junho de 632, Maomé morreu inesperadamente com 62 anos de idade. Maomé Foi um líder religioso e político árabe.

· Os Muçulmanos estão divididos em dois grandes grupos: 

Os Sunitas e os Xiitas. Os Sunitas são os seguidores da tradição do profeta, continuada pôr All-Abbas, seu tio. Os Xiitas são partidários de Ali, marido de Fátima, filha de Maomé. São os líderes da comunidade e continuadores da missão espiritual de Maomé. A palavra “islamismo” vem da palavra árabe islã, que significa “submissão”. Muçulmano é aquele que se submete incondicionalmente a Alá. A palavra “muçulmano” vem do árabe “ mussilmin”, cujo significado é: “aquele que se rende de corpo e alma a Allah”. Na sua maioria os muçulmanos são Árabes descendentes de Ismael filho Abraão com Hagar (Gn 17.20).

· O Islamismo crê que exista um só livro sagrado, o Corão, escrito em Árabe: 

Segundo os muçulmanos, o Corão contém a mensagem de Deus a Maomé, as quais lhe foram reveladas entre os anos 610 a 632. Seus ensinamentos são considerados infalíveis. É dividido em 114 suras (capítulos), ordenadas pôr tamanho, tendo o maior 286 versos. A segunda fonte de doutrina do Islã, a Suna, é um conjunto de preceitos baseados nos ahadith (ditos e feitos do profeta). Segundo eles, as antigas revelações de Alá na Bíblia foram corrompidas pelos cristãos, e, pôr isso, não é de confiança. 

· O Islamismo crê que Maomé é o último e o mais importante dos profetas:

Os muçulmanos dizem que Jesus foi apenas mais um dos profetas enviados por Deus a diferentes culturas. Dizem que Maomé o mais recente e último profeta do Deus de Abraão, é maior por que veio depois de Jesus. Não é considerado pelos muçulmanos como um ser divino, mas sim um ser humano; contudo, ele é visto como um dos mais perfeitos entre todos. Conforme o Islamismo, Alá enviou 124,000 profetas ao mundo, apesar de unicamente trinta estarem relacionados no Corão. 

Os seis principais foram: 

Adão, o escolhido de Alá; 
Noé, o pregador de Alá; 
Abraão, o amigo de Alá; 
Moisés, o porta-voz de Alá; 
Jesus, a palavra de Alá 
Maomé, o apóstolo de Alá.

O objetivo final do Islamismo é subjugar o mundo e regê-lo pelas leis islâmicas, mesmo que para isso necessite matar e destruir os “infiéis ou incrédulos” da religião (o islã). 80% de todos os muçulmanos nunca ouviram o evangelho.