terça-feira, 22 de setembro de 2015

Templo, Culto e Adoração


Por: Pr. Levi Costa

A igreja (congregação) tem se tornado cada vez mais um mero clube social com características religiosas. Muitos dos que frequentam o templo, aos finais de semana, só o fazem (quando fazem) por simples conveniência religiosa, isso porque não frequentam os ambientes de entretenimento que os não religiosos (não crentes) frequentam. A finalidade termina sendo a de cumprir mais um momento programado com dia e hora marcados nem que seja somente para mostrar que ainda está por ali.

Então eu pergunto: O tempo dessas pessoas no templo, em um final de semana qualquer, pode ser realmente considerado um culto a Deus? Lembremos que, culto não se resume em a pessoa cantar, gesticular, fechar os olhos, contribuir com dízimos e ofertas, etc. O verdadeiro culto tem a ver com o próprio Deus. Ele, o Senhor, é a causa e a razão de nos reunirmos como igreja para engrandecermos e exaltarmos Seu santo nome. Isso se faz em espírito e em verdade, como fazem os verdadeiros adoradores: "Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e é necessário que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade." (Jo 4.23,24).

Infelizmente, para muitos, o ambiente de culto (templo, igreja) é mais uma válvula de escape para as questões desta vida, daí porque tantas campanhas pré-programadas no intuito de ter os próprios problemas resolvidos. "Pregadores" são convidados (ou contratados) para levar o povo não a adorar a Deus, mas a reivindicar, determinar e, até mesmo, exigir a sua "bênção", a sua "vitória", querendo que seja restituído "aquilo que é seu". Esse é o típico "culto" antropocêntrico, ou seja, quando o homem, e não Deus, é o centro da situação. Cabe aqui a reprimenda de Paulo aos crentes da igreja de Corinto: "Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens." (1Co 15.19).

Como expressão de um verdadeiro adorador que só em Deus encontra o sentido da vida e sua razão de viver, diz o salmista Davi: "Ó Deus, tu és o meu Deus, eu te busco intensamente; a minha alma tem sede de ti! Todo o meu ser anseia por ti, numa terra seca, exausta e sem água. Quero contemplar-te no santuário e avistar o teu poder e a tua glória. O teu amor é melhor do que a vida! Por isso os meus lábios te exaltarão. Eu te bendirei enquanto viver, e em teu nome levantarei as minhas mãos. A minha alma ficará satisfeita como de rico banquete; com lábios jubilosos a minha boca te louvará." (Sl 63.1-5 - NVI).

Isso é culto de adoração ao Senhor Deus!