sábado, 3 de outubro de 2015

Como reconhecer um mentiroso?

Músculos faciais e sobrancelhas pode ser a resposta


Mentirosos são reconhecidos por expressões de alguns músculos faciais e sobrancelhas levantadas, afirma um novo estudo.

Os pesquisadores descobriram quatro músculos faciais “vazados” que expressam o verdadeiro sentimento de uma pessoa, tais como culpa em meio a intensas pressões emocionais.

A equipe da University of British Columbia, no Canadá, concluiu que os mentirosos foram traídos pelos movimentos minúsculos que lhe “obrigaram” a levantar suas sobrancelhas em expressões surpreendentes.

As pessoas inocentes, por sua vez, tendem a formar um sulco em seus rostos com expressões verdadeiras, denominadas de “aflição”, comentam os cientistas.

O estudo, publicado na revista Evolution and Human Behaviour, concluiu que a falta de controle sobre as expressões faciais significa a expressão de sentimentos genuínos e pode diferenciar o que é emoção verdadeira de uma falsa.

Os psicólogos dizem que a maioria dos seres humanos podem controlar os músculos inferiores da face, a fim de falar ou comer, mas os da face superior são difíceis de manipular e podem desencadear um comportamento involuntário.

A pesquisadora Dra. Leanne Brinke, que liderou o estudo, disse que as descobertas sugerem tentativas de mascarar nossas emoções, tendendo a falharem quando se envolvem em um “ato consequente de engano”.

“Nossa pesquisa sugere que os músculos da face não estão sob controle consciente completo e certos músculos tendem a trair o mentiroso, particularmente em situações de altas apostas e alto apelo emocional”, disse a cientista em declaração ao portal Telegraph.

Os pesquisadores analisaram as expressões faciais de 52 pessoas – metade dos quais foram mais tarde provado que eram afirmações mentirosas – fazendo apelos emocionais televisionados para o retorno seguro de suas expressões.

Mais de 23.000 vídeos foram coletados em situações reais de pessoas em países como Grã-Bretanha, Estados Unidos, Canadá e Austrália.

Fonte: Jornal Ciência