domingo, 18 de outubro de 2015

Descendo à casa do Oleiro...


Por Pr. Levi Costa

Quando Judá vivia um dos períodos mais críticos de sua história, Jeremias recebe ordem de Deus para que visitasse a casa do oleiro, provavelmente situada no extremo sul de Jerusalém, daí a ordem para descer. O profeta desce à olaria para que entendesse a forma como Deus estava trabalhando com seu povo, Judá, e com as nações circunvizinhas (Jr 18.1-6).

Jeremias Desce à Casa do Oleiro

Deus leva o profeta a visitar a casa do oleiro e observar o trabalho que este fazia sobre as rodas. Ao contemplar o trabalho do oleiro, Jeremias entende que Deus cumpre seu propósito na história através do tempo, as rodas tipificam o tempo que gira.

O trabalho do oleiro consistia em dar forma a uma porção de barro sobre as rodas, espécie de torno movido pelos pés, produzindo peças de cerâmica torneadas com as mãos. O barro precisava estar limpo e moldável para ser levado para uma bancada onde chegava ao ponto certo para ser trabalhado. Como este tipo de trabalho era muito comum, ninguém deixaria de entender a lição passada pelo profeta. 

Nas rodas, o vaso é modelado e em seguida postos a secar. Depois de seco, é decorado ao gosto do oleiro. Alguns vasos eram decorados riscando-se a sua superfície; em outros, cordas eram pressionadas sobre eles ainda mole formando sulcos. Depois de secos e decorados, eram queimados em um forno. 

O que muitos não percebem é que existe uma profunda espiritualidade que só se desenvolve através do fogo da provação. O sofrimento purifica nossa fé (1 Pd 1.6-7), enfraquece nosso orgulho (2 Co 12.7). Por isso, Paulo se gloriava nas tribulações (Rm 5.3). E Pedro diz que, através delas, podemos experimentar uma “alegria indizível e cheia de glória” (1 Pe 1.9). 

Nós somos obra do Senhor e a cada dia ele nos molda para ficarmos segundo o desejo do Seu coração, segundo a forma que Ele planejou para que sejamos. Jó foi modelado ao passar no forno do Divino Oleiro – Jó 23.10.

Para nos moldar, Deus usa a “roda da vida”, e cada dia da nossa existência é como se fosse um giro dessa roda. Coisas boas e ruins acontecem, encontramos pessoas boas e ruins, situações fáceis outras difíceis, tudo o Senhor usa para moldar o nosso caráter, para nos fazer melhores – Gn 45.7,8; 50.20; Rm 8.28; 

É na casa do oleiro que o vaso é moldado. Se o Senhor Deus é o oleiro e nós somos os seus vasos. A igreja é a casa do oleiro, pois a igreja é a casa de Deus. É lá que somos tratados, moldados e remodelados por Deus. Aconteça o que acontecer, não se afaste da igreja, a casa de Deus – Pv 5.14; Hb 10.29.

O vaso se quebrou na mão do oleiro

Isto pode acontecer quando o barro não está muito bem curtido. O vaso tem que ficar no "curtimento" (ato ou efeito de curtir alguma coisa, preparando-a para uso). Quanto maior o curtimento, maior a liga, e quanto maior o vaso, maior o tempo necessário de curtimento, ou seja, quanto maior a obra de Deus em nossa vida, maior será o tempo diante de Deus debaixo do Seu agir em nossa vida - 2 Cr 20.6; Tg 5.11 e 1 Pe 5.6,10. 

Quando o barro é tirado do curtimento, (depois de certo tempo), ele é colocado em um local próprio para ser, literalmente, pisado, amassado. O oleiro mistura com água e pisa o barro até que ganhe elasticidade. Isaías fala sobre esse pisotear o barro - Is 41.25.

Pisar o barro é necessário para que todo o ar existente nele seja retirado, se não, formam-se bolhas e o vaso fica defeituoso, devido ao fato do barro não haver sido pisado o suficiente - Sl 119.67,71; 1 Pe 4.16.

Existe cerca de duzentos tipos de barros conhecidos, entretanto, apenas oito tipos de barro servem para a fabricação de vasos. Sabe o que isso significa? Significa que se você foi escolhido por Deus então isto revela que você é feito de um barro especial, próprio para ser moldado e trabalhado por Ele – Is 43.7,21.

Deus tem profundo interesse em nos reaproveitar, refazer-nos novamente. Deus não faz emendas, ele faz novas todas as coisas. Ele é quem restaura a nossa sorte (Sl. 14.7, 53.6), nossos sonhos, nossos bens, nossas coisas. Ele quer restaura a nossa alma (Sl. 19.7). 

O vaso quebrado foi restaurado por estar nas mãos do oleiro. Continue barro, continue nas mãos de Deus. O oleiro não se desfaz do barro, mas o traz de volta para a roda e o trabalha até que ganhe uma nova forma. Continue moldável e permita que o Senhor te restaure e faça de você um restaurador de vidas, (Is. 58.12b).

Onde você está? Na casa do Oleiro? Isso não basta. É preciso estar nas mãos do Oleiro! Se estivermos nas mãos do Oleiro é por que Ele está moldando nossas vidas - Jr 19.11.

Jeremias e a soberania de Deus

Jeremias assistia Judá em agonia diante da iminência da destruição. Como a nação não mostrava nenhum sinal de arrependimento, o profeta derrama seu coração em oração para que Deus tenha misericórdia de seu povo (cap. 14). Porém ouve de Deus a ordem para que não mais intercedesse por Judá.

A resposta de Deus a Jeremias não foi a promessa de livramento, mas uma lição prática: “Vai à casa do Oleiro e lá te farei ouvir as minhas palavras”. Ali, observando o manejo do oleiro com o barro sobre as rodas.

Ao verificar o cuidadoso trabalho do oleiro sobre as rodas, Jeremias aprende a lição do absoluto domínio da vontade do oleiro sobre o barro. Agora, o profeta consegue ver o real significado de um ato tão simples e corriqueiro. A visão do profeta serviria de mensagem para toda a nação: Deus estava se comparando àquele oleiro, e comparando Israel àquele barro – Is 64.8.

Deus detém o controle absoluto de tudo o que existe e acontece, o mal não prevalecerá, no final o seu propósito se mostrará firme. Como o vaso se quebrou na mão do oleiro, e este voltou a fazer um novo vaso conforme o seu desejo, Deus estava – e está – determinando o curso da história humana da forma que lhe apraz, ainda que, às vezes, não vejamos nenhuma evidência disto – Jó 42.2; Is 55.8,9 e Jr 29.7,11.

Somos convidados a descer à casa do oleiro com Jeremias, a fim de aprendermos que somente um conhecimento prático do caráter de Deus, conforme descrito nas Escrituras, capacita o crente a encarar as circunstâncias da vida com fé, consciente de que Deus é soberano, está no controle de tudo o que acontece, e a sua vontade não pode ser frustrada. A importância do capítulo 18 do livro de Jeremias, consiste em que o poder do oleiro sobre o barro é usado para ensinar acerca da soberania de Deus sobre todas as coisas.