segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Milagre e leis na natureza


Por Pr. Levi Costa 

Milagre da natureza, você já deve ter ouvido essa frase, pois ela é bastante comum. Mas o que essa frase representa na prática? Para um evolucionista, quer dizer que a força da natureza é a causa que leva a efeito todos os fenômenos naturais, sejam no plano macro ou microcósmico. O panteísta, ele ver a divindade na natureza quando afirmam que deus é tudo e tudo é deus, ou seja, eles confundem a criação com o criador, portanto, a natureza é capaz de operar milagres por si mesma.

E para um teísta, como ele ver essa questão? Por certo o teísta, como criacionista que é, não ver a afirmação em questão (milagre da natureza), da mesma forma que nos casos anteriores. Aliás, do ponto de vista teísta, a afirmação seria mais correta se colocada de outra forma, ou seja: milagre NA natureza, e não DA natureza, por entender que o agente que opera o milagre deve ter consciente de si mesmo e de tudo o mais no universo ao seu redor. Daí, não ser possível que a própria natureza seja esse agente operador do milagre. 

Assim, se faz necessário um agente externo, que não se confunde com a natureza, e esse agente só pode ser Deus, o Criador do Universo, portanto, o Criador da própria natureza. Então, quando vemos algo extraordinário na natureza/criação, atribuímos isso à operação do Divino Criador, o Senhor nosso Deus. Milagre, por definição, pode ser classificado como algo fora e além do curso normal das leis que regem a natureza, só o Criador pode fazer tal alteração das leis que Ele mesmo criou para a boa ordem e equilíbrio das coisas criadas, portanto, um milagre na natureza a partir das leis que à rege. 

Outra questão a se observar, diz respeito às leis da natureza (que também pode ser dito: leis na natureza). Essas leis, assim como os milagres na natureza, não é obra do acaso, nem tão pouco a consequência evolutiva de um processo ao longo de bilhões de anos. É preciso muito mais fé para acreditar em tal processo, que culminou no que existe hoje, do que crer na existência de um Criador de todas as coisas, inclusive da natureza com as leias inerentes a ela. A lógica nos diz que para que existam leis, se faz necessário àquele (ou àqueles), que às elaborarão tornando-as definitivas e normativas para a devida aplicação prática. A isso nós atribuímos como sendo o trabalho do Supremo Legislador do Universo, sábio, e Todo-Poderoso, Deus! 

Eu, em momento algum, me refiro à natureza dizendo ser ela incrível, perfeita, sábia por aquilo que me traz admiração ao contemplá-la. Na verdade, eu não atribuo nada à natureza em si, mas a DEUS. Sim, Deus é o Grande Design Inteligente, Sábio e Todo Poderosa, O CRIADOR da natureza. A própria CRIAÇÃO (natureza), manifesta a glória de Deus mediante a exuberante obra de Suas mãos criadora. Como nos diz o salmista:

"Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos." - (Sl 19.1);
"Do Senhor é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam. Porque ele a fundou sobre os mares, e a firmou sobre os rios." (Sl 24.1,2).

A Bíblia é o manual da criação divina, ela está repleta de registros dos milagres operados por Deus e através daqueles a quem Deus usou para tal. A Bíblia, a palavra de Deus, é O Livro de registro dos milagres do Criador, mediante a Sua operação na natureza através de suas leis. Portanto, podemos afirmar que: milagre é uma especialidade de Deus, Ele é o Deus dos milagres. Mas, constitui-se um grande milagre, crer em milagre mesmo quando não há nenhum milagre para crer, pois, em matéria de fé, a Palavra de Deus nos basta! Por isso, ao Deus Criador seja a glória hoje e eternamente, amém!

Para meditar: 

"Quem mediu na concha da sua mão as águas, e tomou a medida dos céus aos palmos, e recolheu numa medida o pó da terra e pesou os montes com peso e os outeiros em balanças? Quem guiou o Espírito do Senhor, ou como seu conselheiro o ensinou? Com quem tomou ele conselho, que lhe desse entendimento, e lhe ensinasse o caminho do juízo, e lhe ensinasse conhecimento, e lhe mostrasse o caminho do entendimento? Eis que as nações são consideradas por ele como a gota de um balde, e como o pó miúdo das balanças; eis que ele levanta as ilhas como a uma coisa pequeníssima." (Isaías 40.12-15)

"Todas as nações são como nada perante ele; ele as considera menos do que nada e como uma coisa vã. A quem, pois, fareis semelhante a Deus, ou com que o comparareis?" (v17,18)

"Porventura não sabeis? Porventura não ouvis, ou desde o princípio não se vos notificou, ou não atentastes para os fundamentos da terra? Ele é o que está assentado sobre o círculo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; é ele o que estende os céus como cortina, e os desenrola como tenda, para neles habitar." (v21,22)

"A quem, pois, me fareis semelhante, para que eu lhe seja igual? diz o Santo.Levantai ao alto os vossos olhos, e vede quem criou estas coisas; foi aquele que faz sair o exército delas segundo o seu número; ele as chama a todas pelos seus nomes; por causa da grandeza das suas forças, e porquanto é forte em poder, nenhuma delas faltará." (v25,26).

"Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o Senhor, o Criador dos fins da terra, nem se cansa nem se fatiga? É inescrutável o seu entendimento." (v 28).