terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Poder e unção na pregação


Por Pr. Levi Costa

O poder de uma pregação não consiste nos movimentos físicos/corporais que um pregador adota ou no volume e tom de voz que ele assume, mas, consiste no conteúdo bíblico da mensagem que ele prega, "pois o Evangelho é o PODER de DEUS" (e não do pregador), para salvar todo aquele que crê (Rm 1.16). 

Quando aquele que prega passa a usar e abusar das encenações no púlpito, ele deixa de ser um pregador e passa a ser um ator, fazendo do púlpito um simples palco de suas amadoras apresentações.

Quando eu estou diante de um pregador da palavra de Deus o meu interesse é o de ouvir uma mensagem com conteúdo, e não em ver uma performasse teatral do próprio ministrante que, nesse caso, não passa de um animador de auditório do que propriamente um ministro do evangelho de Jesus Cristo.

Pregar ou testemunhar com unção, é a obra do Espírito Santo em nossa vida fazendo com que a mensagem que pregamos alcance os corações e despedace o jugo do pecado e o domínio do diabo sobre as vidas mediante o entendimento das Escrituras, é isso que leva as almas a confessar a Cristo como Salvador e Senhor. 

A oração nos proporciona porta aberta à palavra para falarmos dos mistérios de Jesus Cristo como nos convém falar (Cl 4.2-4). Era costume o apóstolo Paulo pedir oração às igrejas, pois ele sabia perfeitamente a eficácia da oração no tocante a pregação da palavra. (Ef 6.18,19; 2 Ts 3.1). Paulo não somente pedia que os irmãos orassem por ele, mas ele mesmo orava constante e fervorosamente no mesmo sentido (Ef 3.14-16).

Foi exatamente o que aconteceu no dia de pentecostes mediante a pregação de Pedro após dez dias de oração no senáculo, pois, cheio do Espírito Santo, (sem nenhum estardalhaço), ele explicou a razão de ser do que havia acontecido, para isso ele recorreu ao livro de Joel capítulo 2, ou seja, pregou a palavra com conteúdo, e, na unção do Espírito, ganhou quase 3 mil almas para Cristo.

Devemos sempre nos abastecer da força e do poder de Deus através da oração (Ef 6.18a). Nenhuma igreja poderá crescer e produzir fruto para a vida eterna senão cheia do Espírito e dirigida por Ele (Ef 5.18; Rm 8.14). O Espírito Santo nos guia em toda a verdade e nos revela os insondáveis mistérios de Deus (Jo 16.13; 1 Co 2.9-11).