terça-feira, 10 de maio de 2016

Sinais da volta de Jesus


Por Pr. Levi Costa

Quando estavam com o Senhor no Monte das Oliveiras os discípulos lhe perguntaram acerca dos acontecimentos finais e dos sinais da Sua vinda – Mt 24.3.

Sinais relacionados a Israel: O vale de ossos secos, Ez 37.1-11.

Faz referência à restauração nacional, moral e espiritual de Israel. Parte já se cumpriu, (restauração nacional), Outra está se cumprindo, (restauração moral). Finalmente se cumprirá a restauração espiritual mediante a Grande Tribulação com a intervenção de Cristo.

A volta dos judeus à sua terra foi um fato marcante na escatologia bíblica. Tal acontecimento foi profetizado por Isaías muito séculos antes. Jesus antecipou a restauração de Israel, como nação, ao mencionar o brotar da figueira, árvore que é símbolo da nação judaica – Is 66.8; Jr 24.5 e Mt 24.32-34.

A existência do povo judeu é prova da existência de Deus. Israel é o relógio escatológico de Deus que marca os desígnios divinos para o final da história da humanidade. Ninguém jamais poderá tirar o povo judeu de sua terra pátria – Jr 24.6.

Sinais relacionados ao mundo e à Igreja - Mt 24.3-14.
- Falsos Cristos – v. 4,5 São falsos messias que surgem e enganam muita gente desavisada e ingênua – (Mc 13.21,22).

- Guerras – v. 6 O mundo já passou por duas grandes guerras. A I Guerra Mundial teve inicio em 1914 e acabou em 1918, causando a morte de mais de 8 milhões de soldados e 6,5 milhões de civis. A II Guerra Mundial durou de 1939 a 1945. Os mortos são estimados em 50 milhões, a maioria civil. Só judeus morreram 6 milhões.

- Fome, peste e terremotos – v. 7,8: Hoje, os três mais importantes espaços vitais da humanidade estão comprometidos, a saber: O ar, a água e a terra. Trazendo consequências desastrosas para a vida no globo.

- Perseguição aos cristãos – v. 9: Sem sombra de dúvidas, o Cristianismo é hoje a religião mais perseguida do mundo, principalmente nos países comunistas com a China e a Coréia do Norte e nos países dominados pelo Islã. 

- Escândalos na igreja – v. 10,11: Isso decorre do joio que cresce junto com o trigo, trazendo escândalos e heresias para a igreja – Mt 18.6,7; 2Pd 2.1-3.

- Multiplicação da iniquidade – v. 12,13: O sentido aqui para iniquidade tem a ver com coisas ilegais e liberdade sem lei. O aumento da iniquidade leva à violação dos princípios divinos estabelecidos na Palavra. Esta é a realidade do mundo de hoje – Is 5.20; Rm 1.28-32; 1 Tm 3.1-5; 2 Tm 4.1-3.

- A pregação do Evangelho – v. 14: Ainda existem muitos povos não alcançados pelo evangelho, contudo, em termos gerais, o evangelho já chegou aos confins da terra.

Há outros sinais de aspectos sociais, morais e religiosos que apontam para o tempo do fim. É certo que estes sinais não estão apenas no tempo do fim, mas por todo o decorrer da história da igreja, o que os escritores queriam deixar claro é que no fim dos tempos estes sinais se tornariam evidentes e corriqueiros, são eles:

- Apostasia - (1 Tm 4.1a). A tradução de apostasia é revolta, rebelião, afastamento doutrinário e religioso. A igreja de Laodiceia, que é uma representação da igreja atual, traz consigo a evidente marca da apostasia espiritual (Ap 3.14-22).

- A generalização de desvios doutrinários - (1 Tm 4.1b,2). Paulo dá o motivo da apostasia: os desvios doutrinários. As igrejas se tornam a cada dia mais politizadas e menos espirituais, mais humanistas e menos cristocêntricas.

- Degradação moral generalizada - (2 Tm 3.1-4). Este texto tem uma relação muito estreita com Romanos 1.28-32, onde o contexto fala da condição pecaminosa em que se encontra a humanidade. Paulo refere-se a este tempo como “tempos difíceis”.

- Desenvolvimento da ciência e transportes - (Dn 12.4). O tempo do fim será marcado por um avanço tecnológico sem precedentes, este seria também estendido aos meios de transporte. Deus revela a Daniel que as pessoas esquadrinhariam a terra, ou seja, iriam de uma parte à outra, também lhe é dito sobre uma multiplicação da ciência, tudo isso temos visto desde o início do século XX.