quarta-feira, 1 de junho de 2016

O Tribunal de Cristo e as Bodas do Cordeiro

Por Pr. Levi Costa

I - O Tribunal de Cristo

O julgamento das obras dos salvos arrebatados.

Nos tempos de Paulo havia tribunais militares e tribunais utilizados nos jogos de Atenas. Os atletas vencedores eram julgados e galardoados pelo juiz da arena, recebiam uma coroa de folhas de louro como símbolo da sua vitória. O julgamento no Tribunal de Cristo nada tem a ver com salvação ou condenação, mas tem a ver com recompensa pela obra realizada – 1 Co 9.24,25; 2 Co 5.10.

Aspectos gerais que envolvem o Tribunal de Cristo

  • O Tempo: Ocorrerá em um tempo específico após o Arrebatamento da Igreja;
  • O Lugar: Será instalado nas regiões celestiais, antes da entrada no Céu – Ap 22.12
  • Os Julgados: Todos os salvos comparecerão e prestarão contas ao Senhor– Rm 14.10,12; 1 Co 4.5;
  • O Juiz: Todo o juízo, seja de justos ou de ímpios, foi confiado ao Filho de Deus, Jesus – Jo 5.22 
O procedimento do julgamento no Tribunal de Cristo.

O apóstolo Paulo menciona seis diferentes materiais que representam os elementos que empregamos na construção da vida cristã e da obra de Deus – 1 Co 3.12-15

O valor do trabalho cristão depende do tipo de material usado na obra. Os três primeiros, ou seja, ouro, prata, pedras preciosas, são resistentes ao fogo. Os três últimos, madeira, feno e palha, são frágeis e não resistem ao fogo do juízo divino. 

Olhemos por nós mesmos a fim de que não percamos o nosso galardão. Alguns sentirão por não serem galardoados naquele dia. Paulo declara que o crente receberá da parte do Senhor o devido louvor, ou elogio – 1 Jo 2.28; 2 Jo 8 e 1 Co 4.5 (BLH) 

Tipos de recompensas

Essas recompensas são descritas como galardões ou coroas. Vamos analisá-las:

1 - A Coroa da Vida: É para aqueles que morreram como mártires da fé em Cristo – Tg 1.12; Ap 2.10;

2 - A Coroa da Glória: esta é para os ministros fiéis que promoveram o Reino de Deus sem esperar recompensa material 1Pd 5.2-4;

3 - A Coroa de Justiça: Se destina a todos os que amam a vinda do Senhor – 2 Tm 4.7,8;

4 - A Coroa de Gozo (alegria): Esta é para os que ganham almas pra Jesus através da evangelização – 1 Ts 2.19,20; Pv 11.30;

5 - A Coroa Incorruptível: Será para aqueles que exercitam o domínio próprio sobre o velho homem – 1 Co 9.25-27.

II - As Bodas do Cordeiro

Bodas do Cordeiro, a festa de casamento de Cristo com a Igreja.


Concluído o julgamento no Tribunal de Cristo a Igreja será chamada a ter acesso à sala do banquete da festa das Bodas. Cristo e a Igreja se tornarão o centro das atenções de todos os seres celestiais. Cumprir-se-á o desejo de Jesus expresso em Sua oração sacerdotal – Jo 17.24

A ceia das Bodas do Cordeiro é a expressão máxima da relação entre Cristo e Sua Igreja. É a figura do casamento do esposo e da esposa. O salmo 45 provavelmente retrata o casamento de Davi. Mas é muito parecido com o cortejo da Igreja para as bodas do Cordeiro, confira: Sl 45.10-17; 2 Co 11.2.

Características das Bodas

As Bodas está de acordo com o modelo oriental do casamento, pois havia três aspectos principais: 

1. Um contrato era estabelecido entre os pais dos noivos em que o pai do rapaz pagava um dote ao pai da moça. A Igreja foi comprada pelo sangue do Cordeiro e agora pertence a Ele;

2. O segundo ato acontecia um ano depois, ou em ocasião adequada, era a vinda do noivo com seus amigos à casa da noiva. Ela sabia que ele viria e aguardava com as suas damas de companhia para juntar-se ao cortejo e acompanha-lo até a casa do noivo. A Igreja será levada à casa do Pai - Jo 14.1-3.

3. Por fim, na casa do pai do noivo acontece o banquete de casamento que durava uma semana, sete dias. Isto representa os sete anos da Grande Tribulação na Terra que corresponde à última das setenta semanas de Daniel – Gn 29.27,28

O casamento é de Cristo e a Igreja, mas os convidados são muitos. Mesmo no Milênio esta festa continuará, quando a Igreja será apresentada aos amigos do noivo, que compreende o Israel salvo, os santos do Antigo Testamento e os salvos da Grande Tribulação – Jo 3.29; Ap 19.9 e 20.4.

Jesus disse que dos nascidos de mulher João Batista era o maior, mas que o menor no reino dos céus é maior que João Batista, ou seja, os salvos da Igreja agora glorificada – Mt 9.15; 11.11 e 1Jo 3.3.