quarta-feira, 6 de julho de 2016

A Guerra do Armagedom


Por Pr. Levi Costa

Grande parte da história do mundo está ligada às guerras. O século XX defrontou-se com duas guerras mundiais e muitas guerras menores. Deus avisou-nos de que nos últimos dias não haveria paz, mas guerras e rumores de guerras (Mt 24). Mas a pior de todas as guerras ainda está por vir, a Guerra do Armagedom.

O Armagedom - (Ap 19.11-21)

O termo armagedom aparece uma única vez na Bíblia. Estudiosos da Bíblia dizem que o termo megido significa: derrubar, matar, cortar, decepar ou matança. Armagedom é um nome figurativo para Vale ou montanhas de Megido. Esta região é conhecida por ser tradicionalmente, um lugar de batalhas travadas por Israel no decorrer de sua história (2 Cr 35.22). O vale do Megido, fica aproximadamente a 90 Km de Jerusalém, é uma planície com aproximadamente 30 Km de comprimento por 22 Km de largura. Está numa posição estratégica entre o Eufrates e o Nilo. Megido é também denominado vale de Josafá ou vale da decisão (Jl 3.2,12,14).

A batalha do Armagedom

Este lugar será palco da maior peleja de todas, o Armagedom, evento que marca a vinda de Jesus para estabelecer seu reino messiânico. É “a peleja do grande dia do Deus Todo-Poderoso”, é o “acerto de contas” de Jesus com o anticristo (Ap 16.114; 19.11). Um exército com 200 milhões de soldados cercará a cidade de Jerusalém com o intuito de destruí-la totalmente, para tirar do mapa a nação de Israel. Com a invasão dos inimigos as casas serão arrombadas e as mulheres violentadas, a população fugirá para se esconder, mas Deus promete destruir seus inimigos (Ap 9.16; Zc 12.9; 14.2).

A volta triunfal de Cristo

Quando Jerusalém cair nas mãos das tropas inimigas, e o templo dos judeus for invadido e profanado pelo Anticristo, os céus se abrirão com o aparecimento do Rei dos reis e Senhor dos senhores, Jesus Cristo (Ap 19.11). Jesus regressará pessoalmente em glória comandando os exércitos celestiais acompanhado dos santos que compõem a Igreja. Ele será visto e conhecido por todos. O retorno de Cristo será visível e literal. Todo o olho o verá (Zc 14.3,4; Jd 14,15).


O Senhor Jesus virá com os seus exércitos em socorro de seu povo. Todos os exércitos do Anticristo reunidos contra Jerusalém serão destruídos pelo Senhor Jesus no vale de Josafá. Jerusalém será resgatada e salva pelo seu verdadeiro Messias (Jl 3.9-17; Zc 12.1-9). Todos estarão no vale de Megido e em toda a redondeza; quando então, Jesus surge. Cristo prenderá a besta e o falso profeta lançando-os vivos no lago de fogo e enxofre, e todos os exércitos serão mortos pelo próprio Cristo (Ap 19.19-21).

Ao descer do céu Jesus colocará seus pés no monte das oliveiras causando a abertura do monte, surgindo no meio das duas metades um vale muito grande com uma nascente de água em que correrá para o mar da Galileia e para o Mediterrâneo (Zc 14.3-8,10; Ez 47.1-12 e Mq 1.4; Na 1.5). 

Na sua primeira vinda Jesus apareceu ao mundo como um simples bebê, agora Ele surgirá como O Grande Rei, com todo poder e glória. Amém!